TREINAMENTO DE PARA-ARQUEIROS NA COREIA

 
Relatório e treinamento dos atleta para-olímpico na Coréia 27 de Dezembro de 2010 a 19 de Janeiro de 2011

 
 
  1. Relatório
  2. Cronograma de viagem e treinamento
  3. Fotos
 
 
1.     Relatório:
 
Treinamento dos atletas no centro de treinamento do técnico Kim na Coréia do Sul.
1)      Diogo de Sousa – atleta de base ST recurvo.
2)      Luciano Rezende – atleta adulto ST recurvo.
3)      Christian Haensell – técnico da seleção paraolímpica brasileira.
 
A viagem:
Ø Meio de locomoção: avião e ônibus do aeroporto ao centro de treinamento dentro da Coréia.
Ø Diárias: 17 diárias na Coréia
Ø Duração: de 27/12/2011 a 19/01/2012
Ø Local: Coréia do Sul
 
O Objetivo da viagem:
Treinamento dos atletas de forma muito intensiva junto com a elite do tiro com arco do mundo.
O fato dos atletas paraolímpicos estarem acompanhados pelos atletas olímpicos de BSB foi excelente. A integração foi ótima, já que todos se conheciam dos treinos em BSB. Os atletas olímpicos: Bernardo Oliveira (atleta do ano pelo COB), Klaus von Behr (campeão brasileiro juvenil) e os atletas adultos Ivan Grebot e André Bubenick (campeão Pan-Americano indoor por equipes), estiveram aqui na Coréia por conta própria. O fato de eles estarem aqui animou e incentivou muito os atletas paraolímpicos e vice versa.
Os treinos em conjunto, entre atletas paraolímpicos e olímpicos é muito bom e acaba beneficiando ambos.
 
Objetivos alcançados:
Todos
 
Necessário para dar continuidade ao trabalho:
Continuar o treinamento em BSB. O ideal seria termos 2 vezes por ano um treinamento intensivo desta forma para a seleção. Um treinamento no começo do ano, e um treinamento no meio do ano antes ou depois de um evento principal (em 2011 seria depois do Para-Mundial em Julho, como preparatório para o Para-Pan).
Seria muito interessante se desse para convidar o coach Kim para o Brasil para ajudar na preparação da equipe que vai para o Para-Pan.
 
Quem é coach Kim, e o que é o centro de treinamento do coach Kim (escola de arco de Coach Kim):
A experiência de coach Kim é imensa, são mais de 30 anos de experiência como técnico. Na década de 70 para 80 ele foi umas das figuras chaves na montagem do sistema de arco moderno na Coréia e em 1984 á frente da seleção coreana, como técnico, ganha o primeiro ouro olímpico feminino coreano. Desde então a Coréia conquistou mis ouro olímpico do que o resto do mundo junto.
Em 1996 se mudou para Formosa (Taipei), onde como chefe técnico de tiro com arco montou o arco em Taipei e conquistou entre muitas vitórias o campeonato Asiático. Em 1996 volta para Coréia mais uma vez á frente da seleção coreana. Em 2011, seu livro sobre técnica de tiro com arco vira manual oficial para o ensinamento dos técnicos de tiro com arco na Coréia.
Entre muitas de suas funções de Coach Kim, é indicar o técnico da seleção nacional Coreana de tiro com arco, que vai treinar a seleção coreana para as Olimpíadas de 2012.
No centro de treinamento de coach Kim já treinaram mais de 750 atletas, do mundo inteiro, entre eles o campeão olímpico de 2008 (ucraniano), o recordista mundial 2010 (coreano), o 3º colocado nas olimpíadas de 2008 (russo), e várias seleção que nem a do Japão, Taipei, Rússia, Ucrânia, Índia, Grécia, etc, etc, etc. Só em 2010 treinaram com ele 150 atletas estrangeiros.
Tanto como técnico ou como arqueiro, poder aprender dessa vasta experiência é uma oportunidade única.
 
Agradecimento:
O treinamento na Coréia dos atletas paraolímpicos foi graças à compreensão dos dirigentes do CPB em entender da importância de nossos atletas poderem treinar junto com os melhores do Mundo. A Coréia no arco é que nem o Brasil no futebol de salão ou futebol de praia. Desde 1984, a Coréia ganhou mais ouro olímpico do que o resto do mundo junto.
Gostaria também agradecer aos nossos 4 atletas olímpicos de Brasília: Bernardo Oliveira, Klaus von Behr, Ivan Grebot e André Bubenick, por terem por conta própria acompanhado os atletas paraolímpicos e ficado todo esse tempo junto com a equipe, dando apoio moral, incentivo e ajuda (em especial na hora de pegar as flechas a 70 metros no frio - -18º abaixo de 0). Foi muito produtivo os atletas paraolímpicos estarem juntos com os olímpicos, atirando nos mesmos alvos, usando o mesmo material, sob as mesmas condições e treinando com o mesmo técnico e aprendendo as mesmas técnicas.
Gostaria de agradecer ao coach Kim, que fez muito mais pelo qual foi pago, por ele ter convidado as várias equipes coreanas de base e a equipe paraolímpica coreana a treinar durante nossa estadia, pela enorme ajuda que ele deu ao Diogo e ao Luciano, e pela sua tremenda hospitalidade, sem contar seu vasto e excepcional conhecimento.
 
 
2.     Cronograma de viagem e treinamento:
 
 

27 a 29 / 12 / 2010
Viagem para Coréia, saída de BSB ás 17:00 do dia 27, chegada no centro de treinamento ás 21:00 do dia 29 (11 horas de fuso horário).
30 / 12 / 2010
Treinamento e aclimatização, conhecer o local, se acostumar com a temperatura de -10º a -15º abaixo de 0.
Durante o dia aquecia um pouco e fica por volta dos +2º acima do 0.
31 / 01 / 2012
e
01 / 01 / 2012
Análise de postura com vídeo e primeiros elementos de treino
Determinou-se o plano de treinamento de cada atleta, individual, de acordo com os elementos fracos de cada um. Foi traçado uma meta com 3 pontos de relevância a serem treinados durante os 17 dias.
02 / 01 / 2012
e
03 / 01 / 2012
1º elemento de treino:
Treinamento de postura básica.
Cada atleta teve seu programa individual, treinando os elementos da postura básica que mais precisava de treinar. O objetivo era uniformizar a técnica.
04 / 01 / 2012
e
05 / 01 / 2012
2º elemento de treino:
Treinamento de expansão, apresentação de técnica analisando a postura de atletas de ponta coreanos.
Treinou-­se o tempo de expansão, velocidade da puxada, velocidade de entrar no clicker.
 
Os grips de cada arco foram analisados e alguns modificados, o mesmo com as dedeiras.
De tarde veio um grupo de arqueiras do primeiro grau (8) treinar. Deu para ver a postura delas e fazer fotos e filmes.
06 / 01 / 2012
3º elemento do treino:
Análise de vídeo com ajuste de postura
De tarde coach Kim fez análise de postura das atletas coreanas, uma deles ganhou no campeonato coreano cadete 2 medalhas de ouro. Foi interessante poder estar lá presente, em cada uma das atletas ele repetia em inglês o que explicou para as meninas, para eu poder acompanhar as mudanças e correções que ele fazia
07 / 01 / 2012
De manha começo do treino ás 7:30, coach Kim veio ás 9:00
De tarde análise de postura das atletas coreanas. Como técnico participei da análise (esta equipe foi a 3ª colocada por equipe no campeonato coreano cadete 2010).
08 / 01 / 2012
e
09 / 01 / 2012
Ajuste de material.
Nova equipe coreana chegou.
De tarde análise de postura das atletas coreanas. Como técnico participei da análise (equipe campeão cadete coreana de 2010)
10 / 01 / 2012
a
15 / 01 / 2012
Treino a 70 metros.
Analise de postura
A cada 3 dias vinha um novo grupo de atletas coreanas treinar no centro.
16 / 01 / 2012
Analise de postura com vídeo.
Correção de postura atirando a 70 metros.
17 a 18 / 01 / 2012
Volta para o Brasil

 
 
O dia a dia – cronograma diário:

6:30
Acordar
Treino de Yoga ou de Tai Chi Chuan. Um ou outro participou do treino.
7:00
Café da manhã.
Cortar lenha e aquecer a sala de treino.
8:00
Treino.
12:10
Almoço.
13:00
Volta do almoço e descanso.
14:00
Treino.
17:30
Corrida de 10 minutos.
18:00
Yoga, massagem e meditação (todos participaram).
19:30
Jantar – em alguns dias um ou outro atleta ainda atirou de noite mais 1 hora;
Escrever e mandar por e-mail o relatório diário.

 
 
3.     Treinamento dos atletas: quantidade de flechas atiradas por dia, total de flechas e média de flechas.
 
Nos primeiros 12 dias atiramos á curta distância com flechas sem penas.
A partir do dia 12 os atletas atiraram a 70 metros 10 flechas por rodada. Devido ao frio intenso que congelava a cola fazendo com que as penas caíssem a cada tiro, fomos obrigados a esquentar as flechas (a cola para colar de novo as penas Spin Wing) e as mãos antes de cada rodada. Isso consumiu muito tempo, causando uma grande queda no rendimento de treino. Infelizmente este inverno foi o inverno mais frio dos últimos 30 anos na Coréia.
 
Atletas Paraolímpicos

Atleta
Libras arco
27/29
30
31
1
2
3
4
5
6
7
8
Diogo
42
Ida
144
177
305
310
414
330
316
300
303
198
Luciano
47
200
255
425
352
417
506
350
376
200
482
 
Atleta
 
9
10
11
12
13
14
15
16
Total
Média
17/18
Diogo
 
301
301
-
120
208
80
204
114
4125
242,6
Volta
Luciano
 
301
408
-
48
247
158
145
110
4980
292,9

 
Atletas Olímpicos

Atleta
Libras arco
27/29
30
31
1
2